segunda-feira, 31 de julho de 2017

Refinanciamento De Apartamento - Vale À Pena? O Que É?

Refinanciamento De Apartamento


Muita gente já ouviu falar do chamado refinanciamento de apartamento e imóvel em geral. Mas você sabe o que ele significa? Basicamente, se trata de um empréstimo no valor do imóvel, que o utiliza como garantia.

 

 

Tópicos:

  • Vale à pena;

  • Instituições que realizam esta transação;

  • Refinanciamento caixa;

  • Refinanciamento Itaú;

  • Posso refinanciar meu apartamento sem estar quitado;

  • O que acontece se eu não pagar o empréstimo;

  • Conclusão.


 

 

Ele é muito vantajoso para quem precisa de valores altos e não tem a quem recorrer. Mas, como pedir um refinanciamento? Quais são as condições e qual é o valor que é possível solicitar? Essa e outras perguntas serão respondidas neste artigo de forma clara e objetiva, além da lista de bancos que realizam este tipo de transação com maior frequência. Acompanhe!

 

 

Vale À Pena?


De forma geral, podemos afirmar que este tipo de negociação vale a pena para quem precisa de uma quantia elevada de dinheiro e não deseja pagar juros absurdos como acontece nos financiamentos comuns.

 

 

Essa é uma prática bem vantajosa, porém, que precisa ser calculada com calma, pois os valores altos podem atrair e causar um endividamento grave, que irá resultar na perda do imóvel. Por isso, podemos dizer que as vantagens são excelentes, mas devem ser usadas com prudência.

 

 

A dica é fazer um planejamento adequado para verificar que as parcelas irão caber no bolso e se o empréstimo é realmente necessário. Essa atitude é chamada de crédito consciente.

 

 

Instituições Que Realizam Esta Transação


São inúmeras instituições que utilizam imóveis como garantia para empréstimos altos. Vamos citar as principais:

 

 

Refinanciamento De Apartamento Caixa


Também chamado de Crédito Imóvel Próprio Caixa, essa opção está disponível para correntistas e não-correntistas. As condições gerais envolvem avaliação do imóvel em questão com um profissional escolhido pelo banco e empréstimo mínimo de R$ 20.000,00.

 

 

Os prazos de pagamento podem chegar até 240 meses e o valor não deve ultrapassar o total de 60% por imóvel. Pode ser terreno, apartamento ou outros imóveis que sejam avaliados em, no mínimo, R$30.000,00.

 

 

A vantagem do refinanciamento caixa é que o crédito pode ser aumentado em 5 anos, ou seja, se for preciso mais dinheiro, o banco libera nesse prazo, desde que as parcelas estejam em dia.

 

 

Refinanciamento De Apartamento Itaú


O Itaú também fornece o empréstimo com opção de refinanciamento, chamado de Crédito com Garantia. Este tipo de crédito é exclusivo para os clientes Itaú Personnalité, mas é possível conversar no banco caso não seja seu caso e abrir uma conta com essas condições.

 

 

Assim como na caixa, o Itaú oferece até 240 meses para pagar a dívida e juros bem mais baixos do que os financiamentos comuns. No site oficial, é possível fazer uma simulação e verificar se as parcelas irão caber no orçamento sem prejudicar a família.

 

 

A opção de crédito com garantia é recomendada para quem deseja construir ou comprar um novo imóvel, investindo o dinheiro.

 

 

Posso Refinanciar Meu Apartamento Sem Estar Quitado?


Sim. A opção de refinanciamento pode ser feita mesmo sem a quitação total do imóvel, o que é uma vantagem grande para quem precisa de crédito de valor elevado, mas ainda conta com o contrato do financiamento em andamento.

 

 

O tanto de parcelas que devem estar quitadas depende muito de cada banco, por isso, o ideal é ir até uma agência mais próxima com os documentos e verificar se há disponibilidades a sua situação.

 

 

O Que Acontece Se Eu Não Pagar O Empréstimo?


Infelizmente, este tipo de empréstimo é mais rápido e fácil justamente por dar mais garantias aos bancos. Por isso, se o pagamento não for realizado, é provável que haja perda do imóvel que foi garantido.

 

 

Este é o motivo principal para tomar cuidado com créditos envolvendo bens. Faça um planejamento detalhado das suas finanças antes de realizar o processo. Caso as parcelas atrasem.

 

 

A dica é procurar por um consultor financeiro que irá fazer uma análise do contrato e um acordo com o banco antes que ele vá ao judiciário, evitando o leilão dos imóveis dados como garantia.

 

 

Conclusão


De forma geral, este tipo de empréstimo é muito solicitado por quem deseja construir uma nova casa ou até mesmo comprar um novo apartamento, exatamente porque a quantia é bem maior do que em empréstimos convencionais. Procure o banco que deseja realizar esta transação e faça um planejamento financeiro.

domingo, 30 de julho de 2017

Saiba Tudo Sobre Crédito Pessoal!







Crédito Pessoal


Se você está passando por dificuldades financeiras e teve a ideia de realizar um empréstimo pessoal, calma! Iremos te ajudar a encontrar soluções para a contratação desse tipo de serviço.

 

 

Tópicos:

  • Onde é mais rápido

  • Cartão de crédito

  • Empréstimo tradicional

  • Principais instituições

  • Nubank

  • Itaú

  • Caixa econômica federal

  • Conclusão


 

 

E trazer informações relevantes que precisam ser conhecidas antes de correr a algum site preenchendo seus dados pessoais. É preciso saber em quais instituições você pode confiar e neste artigo será possível encontrar a maioria delas e como elas trabalham para realizarem créditos pessoais.

 

 

Além disso, vamos te contar quais são as mais rápidas. E como fazer um empréstimo pessoal online hoje mesmo, sem sair de casa. Analise com cuidado todas as suas opções e tenha em mente que é preciso planejamento para adquirir esse tipo de contratação. Acompanhe!

 

 

Crédito Pessoal Urgente - Onde É Mais Rápido?


Existem diversas instituições que fornecem crédito rápido. A maioria delas demora algumas horas para aceitar a solicitação. Vamos listar as transações de crédito que costumam ser mais rápidas. Acompanhe!

 

 

Cartão De Crédito


O cartão de crédito costuma ser bem mais rápido que outras solicitações normais de crédito, geralmente podendo ser solicitado pela internet nos sites oficiais dos bancos. Sobre os limites, eles variam muito, e o mínimo costuma ser de R$ 500,00.

 

 

Então, se você precisa de pouco dinheiro para agora, o cartão pode ser uma boa opção. Porém, é preciso ter o nome limpo em quase todas as instituições ou ele não será liberado.

 

 

Outra coisa que deve ser levada em consideração é que ele irá demorar 15 dias para chegar a sua casa, caso ainda não possua nenhum cartão. Por isso, se precisa de mais dinheiro ou tem urgência, um empréstimo pode ser uma solução mais viável.

 

 

Crédito Pessoal - Empréstimo Tradicional


O empréstimo tradicional é feito através de bancos ou financeiras e seu mínimo costuma ser de R$ 1000,00. Nos sites oficiais, é possível ter acesso às simulações online, onde é possível verificar o valor a ser emprestado e o tempo de pagamento.

 

 

Principais Instituições


Para realizar empréstimos rápidos e seguros, é preciso ir direto às instituições conhecidas, evitando entrar em golpes pela internet. Por isso, vamos listar as que utilizam a rede para fazer solicitações ou mesmo créditos pessoais online. São elas:

 

 

Nubank


Se você precisa de um cartão e não quer sair de casa, o Nubank é a solução. A plataforma do banco é totalmente online e você pode pedir seu cartão pelo celular, sem necessidade de ir até uma agência comprovar nenhuma informação.

 

 

Eles oferecem limites variados de crédito e o cartão chega à sua casa em poucos dias. É a modernidade bancária chegando até você! Porém, será preciso ter o nome limpo ou nada feito!

 

 

Itaú


Pelo site oficial do Itaú, é possível pedir empréstimos ou solicitar novos cartões - no caso de correntistas. Independente de qual for à solicitação, será preciso ir até uma agência para levar documentos.

 

 

No caso de consignados, além de ir até a agência, é preciso pedir para o setor de RH da sua empresa, autorizar o empréstimo, que será descontado diretamente da sua folha de pagamento. Empréstimos baixos têm até 48 meses para serem pagos e os mais altos, que envolvem bens ou hipotecas, até 240 meses para a quitação.

 

 

Caixa Econômica Federal


A caixa trabalha com empréstimos consignados, inclusive para aposentados e pensionistas. Para solicitar, é preciso ir até uma agência e pedir uma simulação ao gerente. O empréstimo não pode ultrapassar o valor de 40% da aposentadoria ou salário e os juros são mais baixos, pois as parcelas serão debitadas na folha de pagamento.

 

 

Conclusão


Seja qual for sua urgência, é preciso estudar bem o tipo de empréstimo que irá solicitar e verificar se o seu banco de confiança está disponível para atender suas necessidades. Tente procurar por um gerente para conversar sobre suas possibilidades e veja qual o valor das parcelas melhor cabem no seu bolso.

 

 

Não esqueça que em caso de inadimplência, o banco pode entrar com uma ação judicial e prejudicar seu nome no SPC e SERASA, te impossibilitando de fazer compras ou pedir novos créditos pessoais. Procure manter as parcelas em dia sempre que possível e jamais passe seu dados às instituições desconhecidas.






sábado, 29 de julho de 2017

Saiba Tudo Sobre O Refinanciamento De Automóvel!

Refinanciamento De Automóvel


Existem muitas possibilidades de conseguir um empréstimo sem passar por excesso de burocracias ou até mesmo ter que lidar com juros abusivos, que vão encarecer o processo e fazem com que o crédito fique inviável e as parcelas muito mais altas do que deveriam.

 

 

Tópicos:

  • Vale À Pena;

  • Instituições Que Realizam Esta Transação;

  • Refinanciamento De Veículo Caixa;

  • Refinanciamento De Veículo Itaú;

  • Posso Refinanciar Meu Automóvel Sem Estar Quitado;

  • O Que Acontece Se Eu Não Pagar O Empréstimo;

  • Conclusão.


 

 

As opções variam entre os consignados, que são os créditos com vínculos com a empresa do cliente e com descontos em folha de pagamento e os créditos com garantias, que podem ser usando o FGTS ou mesmo os bens adquiridos.

 

 

É o caso do refinanciamento de veículo, que utiliza o veículo como forma de garantia de pagamento por parte do cliente. Essa opção é bastante utilizada pelos bancos, porque evita a inadimplência e ajuda muito na hora de diminuir os juros e fazer com que a transação seja bem mais rápida. Mas, será que vale a pena? Quando é possível refinanciar o veículo? Iremos neste artigo trazer todas as informações relevantes sobre o assunto. Acompanhe!

 

 

Vale À Pena?


De forma geral, esse tipo de transação vale muito à pena devido aos juros bem mais baixos do que os comuns. Isso porque o banco terá seu veículo como garantia de pagamento, sendo possível diminuir as taxas consideravelmente. Então, para quem precisa de dinheiro urgente e tem um automóvel no nome, essa é uma boa opção.

 

 

Mas, devemos sempre lembrar que é preciso prudência, pois se as parcelas não forem pagas, o banco tem por direito o leilão do carro e o cliente pode perdê-lo. Por isso, sempre faça um planejamento e veja se vale à pena arriscar seu bem e se as parcelas irão caber no orçamento.

 

 

Instituições Que Realizam Esta Transação


São inúmeras instituições que utilizam automóveis como garantia para empréstimos. Vamos citar as principais:

 

 

Refinanciamento De Automóvel Caixa


A Caixa possui uma ampla experiência neste tipo de transação. Porém, no caso deste banco, o veículo precisa estar quitado, o que não ocorre em outras instituições. Mas, a vantagem é que até 70% do valor do automóvel pode ser utilizado como crédito.

 

 

O banco irá utilizar um avalista contratado por eles para verificar qual será a quantia. O prazo de pagamento pode chegar até 48 meses, com juros bem mais baixos do que empréstimos convencionais.

 

 

Refinanciamento De Automóvel Itaú


O Itaú é um dos bancos que mais tem tradição neste tipo de transação. Ele utiliza taxas bem abaixo do mercado e o acesso ao crédito é rápido e simples, podendo ser liberado em até uma hora. A contratação pode ser feita pela internet, porém, será necessário levar os documentos até a agência mais próxima.

 

 

O prazo de pagamento é de até 48 meses e o valor total não pode passar 60% do valor avaliado do veículo. Para quem deseja comprar um terreno ou mesmo começar a construir, essa é uma boa opção, já que os juros são bem mais atraentes.

 

 

Posso Refinanciar Meu Automóvel Sem Estar Quitado?


Como dissemos nos tópicos acima, nem todas as instituições aceitam o refinanciamento de veículos não quitados. Por isso, a dica é ir até uma agência próxima e verificar essa possibilidade. De forma geral, os automóveis possuem valor mais baixo do que imóveis por isso é mais raro que os bancos aceitem os que ainda possuem dívidas.

 

 

O Que Acontece Se Eu Não Pagar O Empréstimo?


Assim como ocorre com qualquer outro empréstimo com garantia, é possível perder o bem no caso de não pagamento das parcelas. Aliás, esse é justamente o motivo para que os juros sejam mais baixos, já que as chances de inadimplência são menores.

 

 

Se caso você atrasar alguma parcela, é preciso contatar seu banco e pedir um acordo ou fazer a quitação o quanto antes. O mesmo vale para inadimplência por muito tempo. Caso receba uma notificação judicial, o prazo se torna extremamente necessário para que o cliente não perca o bem em questão.

 

 

Conclusão


Podemos dizer que este tipo de transação é muito vantajoso se tratando de juros mais baixos e mais facilidade de contratação. Porém, lembre-se sempre de fazer um planejamento para evitar perder o bem devido à inadimplência. Consulte seu banco e faça uma simulação do valor das parcelas.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Saiba Tudo Sobre Empréstimo Usando FGTS!

Empréstimos Usando Meu FGTS


Recentemente, a Caixa Econômica Federal liberou o uso do FGTS para empréstimos consignados. Boa notícia para quem está precisando de um dinheiro extra e não sabia a quem recorrer, como no caso dos negativados e pessoas com dívidas em bancos.

 

 

Tópicos:

  • Como funciona;

  • Condições gerais;

  • Posso usar FGTS para quitar empréstimo;

  • Conclusão.


 

 

Essa liberação representa um passo importante para melhorar a vida dos trabalhadores, que agora contam com uma linha de crédito muito mais barata e de fácil acesso. Ou seja, o sonho da casa própria ou a compra de bens de valor como veículos.

 

 

Ou mesmo a realização de abrir uma nova empresa, agora ficou muito mais possível com o uso do FGTS para esta finalidade. As vantagens são enormes e beneficiam tanto os bancos como quem irá solicitar o empréstimo.

 

 

Empréstimo Usando FGTS - Como Funciona?


De maneira bem simples e explicativa, podemos afirmar que usar FGTS para empréstimo significa muito mais vantagem para o trabalhador. Funciona da seguinte forma: a caixa libera o saldo total que há na conta como garantia.

 

 

Por exemplo, se houver R$ 20.000,00 no fundo de garantia, 10% deste valor pode ser emprestado ao trabalhador. O crédito é consignado, ou seja, o desconto das parcelas é feito totalmente pela empresa, através da folha de pagamento.

 

 

Caso haja algum problema e o vínculo empregatício seja cortado, o banco pode usar o dinheiro na conta para garantir a quitação. Por isso, podemos citar como vantagens deste tipo de transação:

 

 

  • O empréstimo consignado usando o FGTS é bom para os bancos, que possuem garantia de recebimento e não precisam se preocupar com calotes ou inadimplência. O saldo do fundo de garantia é exatamente o que será emprestado para o trabalhador.


 

 

  • Empréstimo consignado usando FGTS para o trabalhador também é muito vantajoso, pois ele não terá que se preocupar caso perca o emprego e não possa arcar com as parcelas, pois há a reserva destinada para este fim.


 

 

Ou seja, o seu nome não ficará sujo e o banco não poderá ter acesso aos seus bens. Isso dá mais tranquilidade para ambas as partes e faz com que essa transação seja mais segura e clara.

 

 

  • O empréstimo usando o FGTS é mais rápido e sem burocracias. Se o banco tem garantias, ele não precisa fazer uma análise de crédito muito profunda, o que resulta em liberação muito mais facilitada.


 

 

É uma vantagem para quem precisa de empréstimo urgente, como no caso de emergências médicas ou viagens não programadas. Além disso, há a possibilidade de negativados conseguirem essa linha de crédito. Assim, será possível diminuir ou quitar as dívidas e poder ter acesso a novos financiamentos, por exemplo.

 

 

  • Os juros nesses casos são bem mais baixos do que os comuns, o que permite ao trabalhador mais facilidade de pagamento e acesso ao crédito de forma mais justa.


 

 

Empréstimo Usando FGTS - Condições Gerais


 

 

  • O prazo de pagamento do empréstimo é de até 120 meses.


 

  • Para solicitar o crédito, é preciso ir até uma agência caixa e fazer a sua solicitação. O atendente irá te passar mais informações e verificar na sua conta quanto será possível usar como garantia.


 

 

É preciso levar documentos pessoais como RG, CPF e comprovante de residência, além do holerite para comprovar o vínculo empregatício.

 

 

  • O consignado deve ser autorizado pela sua empresa, no setor de RH. Informa-se quanto essa possibilidade e verifique as condições gerais que eles oferecem. Em resumo, as parcelas não devem ultrapassar 20% do seu salário e 10% do seu montante no fundo de garantia.


 

 

Empréstimo Usando FGTS - Posso Usar FGTS Para Quitar Empréstimo?


É possível, em alguns casos, utilizar o fundo de garantia para a quitação de empréstimos, especialmente os financiamentos em atraso de imóveis. Porém, é preciso entrar em contato com a agência caixa da sua região.

 

 

E fazer uma análise detalhada da situação. Em alguns casos, o mais recomendado é negociar a dívida com o banco ou pedir o abatimento dos juros para o pagamento.

 

 

Conclusão


O empréstimo utilizando o FGTS tem vantagens e desvantagens, que é a diminuição da poupança do trabalhador. Por isso, é importante ter em mente que o pagamento das parcelas evitará danos futuros.

 

 

E, por este motivo, é essencial que haja planejamento e estabilidade no emprego atual. Verifique suas condições gerais antes de solicitar créditos a qualquer instituição.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Saiba Tudo Sobre Crédito Consolidado!

Crédito Consolidado


Você já ouviu falar de crédito consolidado? Trata-se, de forma resumida, de uma transação onde os débitos de vários empréstimos podem ser consolidados em uma única parcela. De maneira geral, ele é bastante vantajoso.

 

 

Tópicos:

  • Empresas de crédito, o consolidado;

  • Crédito, o consolidado, com hipoteca;

  • Crédito, o consolidado sem hipoteca;

  • Conclusão.


 

 

Especialmente para quem está sofrendo para lembrar-se de pagar todas as dívidas ou para quem precisa aumentar um pouco o tempo para quitação. Existem algumas variáveis deste tipo de crédito e neste artigo iremos explicar quais são. Fique atento e confira!

 

 

Empresas De Crédito, O Consolidado


São muitas as empresas que oferecem este crédito tanto no Brasil, como no exterior. Porém, a maioria delas utiliza um bem como garantia, podendo ser um imóvel ou mesmo um veículo, dependendo do valor total do empréstimo.

 

 

Por isso, é preciso ficar atento e verificar se as parcelas irão caber no orçamento da família. A Barclays é uma das empresas que faz este tipo de transação. Algumas vantagens a serem citadas são:

 

 

  • Até 84 meses para pagar;


 

  • Taxa de juros reduzida, chegando a 9%;


 

  • Prestação pode ser paga através do débito em conta.


 

 

Outra empresa que pode ser citada é credibom. A financeira existe há muitos anos e é uma das que mais apresentam taxas de juros menores. Sua diferenciação também está na flexibilidade de pagamento e facilidade em conseguir o valor em pouco tempo, até 48 horas.

 

 

A credibom é bastante confiável e conhecida nesse tipo de transação e oferece créditos para todo tipo de situações. Para isso, é preciso entrar em contato no site oficial e fazer uma simulação online.

 

 

Crédito Consolidado Com Hipoteca


A forma mais comum de fazer um crédito é com hipoteca. Isso porque os bancos precisam de uma garantia de que o cliente irá pagar as parcelas e, para isso, utilizam um bem que ficará a disposição caso haja inadimplência.

 

 

Muitas pessoas se perguntam se essa é uma boa opção e podemos afirmar que é de uma forma muito generalista. Isso porque depende muito da situação financeira de cada um e o quanto estão ou não dispostos a arriscarem algo de valor pessoal.

 

 

Por isso, a dica é fazer uma avaliação e dar como garantia bens como imóveis no campo ou na praia, por exemplo. Já quem só tem um imóvel no nome, o crédito precisa ser ainda melhor pensado.

 

 

Pois, o risco de perdê-lo deve ser levado em consideração a níveis mais extremos. Afinal, ficar sem casa própria nunca é um bom caminho para sair das dívidas, não é mesmo?

 

 

Crédito Consolidado Sem Hipoteca


O crédito sem hipoteca é mais raro, pois os bancos não costumam arriscar com esse tipo de transação. Mas, ele existe e pode ser conseguido, porém, com algumas desvantagens. São elas:

 

 

  • Menos tempo para pagar: geralmente, os bancos que utilizamos o crédito sem hipoteca, optam por menos tempo de pagamento, para garantirem que as parcelas serão realmente pagas e o cliente não irá desistir no meio do contrato.


 

  • Mais juros: os créditos sem garantias têm mais juros de forma geral, por isso ele é menos recomendado. Os juros aumentam conforme as chances dos bancos de sofrerem inadimplência aumentam.


 

 

E As Vantagens Desse Tipo De Crédito? São Elas:


 

 

  • Menos riscos: sem colocar seu imóvel ou bem como garantia, ou riscos são menores. Porém, quitá-los é igualmente essencial, pois os bancos podem entrar com ações judiciais caso não sejam pagos.


 

  • Menos burocracia: Para um crédito com garantias, é preciso que um avalista vá até o imóvel e esse período pode demorar mais. Por isso, a modalidade sem hipoteca costuma ser um pouco mais rápida.


 

 

Conclusão


O crédito, o consolidado com ou sem hipoteca é sempre uma boa solução porque ele faz com que todas as dívidas fiquem restritas a uma única parcela, o que ajuda na organização financeira como um todo.

 

 

Mas, lembre-se: só faça esse tipo de negociação caso tenha certeza de que as parcelas irão caber no seu bolso e evite se arriscar com garantias se não puder arcar com as despesas. A dica é ir até um consultor financeiro e pedir para que ele faça um levantamento do seu orçamento e veja o que pode ser feito para reverter o quadro.

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Saiba Tudo Sobre Financiamento De Carros!

Financiamento De Carros


Na hora de adquirir um veículo, é raro que isso aconteça sem que seja preciso optar por um financiamento de veículos novos ou seminovos. Seja qual for à opção, é difícil conseguir fazer essa aquisição à vista.

 

 

Tópicos:

  • Quais são os melhores financiamentos de carros?

  • Qual a taxa de juros para financiamento de usados e novos?

  • Quais são as instituições que realizam financiamento de veículos?

  • Financiamento Itaú

  • Financiamento Bradesco

  • É possível realizar financiamento online?

  • Conclusão


 

 

É neste momento que surgem as dúvidas: Como funciona o financiamento de veículos? É possível fazer financiamento online de carros? Qual a taxa de juros e os prazos para pagamento? Essas e outras perguntas serão respondidas neste artigo, que tem como objetivo trazer informação relevante, de forma simples e direta. Acompanhe!

 

 

Quais São Os Melhores Financiamentos De Carros?


Toda semana, o banco central divulga as taxas médias de financiamento do mercado. Essa é uma boa saída para descobrir qual é o melhor e mais econômico banco para esta finalidade.

 

 

Geralmente, a taxa de juros varia entre 1% e 4%, o que é uma diferença grande. Uma boa dica é procurar por cada instituição e utilizar um simulador de financiamento de veículos usados e novos em cada uma delas. Mas, é importante levar em consideração não só os juros, mas também o CET, que é o custo efetivo total.

 

 

Ele irá abranger todos os custos com o financiamento, assim será mais fácil identificar qual é, de fato, mais barato. Todas essas informações constam na maioria dos sites oficiais das financeiras e bancos, além de ser possível encontrá-las na hora das simulações.

 

 

Qual A Taxa De Juros Para Financiamento De Carros Usados E Novos?


Como dissemos no tópico anterior, a taxa de juros varia em cada instituição e pode mudar semanalmente. O ideal é fazer a simulação próximo da contratação do financiamento, para evitar alterações.

 

 

Uma boa dica é ir até as agências e fazer a análise comparativa de cada financeira para decidir qual escolher. Também é importante verificar qual é a taxa média de juros para ter certeza de que não estão sendo cobrados encargos além do permitido por lei.

 

 

Quais São As Instituições Que Realizam Financiamento De Veículos?


Iremos citar as principais instituições e financeiras que realizam este tipo de trabalho no Brasil. A maioria delas é ligada a bancos, outras são independentes. Vejam quais são as vantagens de cada uma delas:

 

 

Financiamento De Veículo Itaú


O financiamento do Itaú tem como principal vantagem a rapidez do processo. Em cerca de 48 horas, já é possível ter acesso a seu carro novo. Além disso, não é preciso ter conta corrente no banco.

 

 

Além de contar com a facilidade do Internet Banking, onde é possível pagar as parcelas pelo aplicativo ou até mesmo ter acesso aos boletos futuros. Outra vantagem é poder comprar seu veículo pelo iCarros, que é um sistema online de venda de veículos. De modo geral, a facilidade e rapidez são peças-chave do Itaú.

 

 

Financiamento De Veículo Bradesco


O Bradesco tem bastante tradição com financiamentos e clientes fiéis. As vantagens são parecidas com as do Itaú, como ambiente online para pagamento de faturas, loja de veículos pela internet.

 

 

E, também, débito automático, o que facilita na hora de gerar as parcelas. Porém, o Bradesco demora um pouco mais para liberar o crédito, especialmente para não correntistas.

 

 

É Possível Realizar Financiamento Online?


De forma geral, a maioria das instituições fornece a chance de realizar simulações online, para facilitar o processo e dar mais rapidez na hora da liberação. Porém, será preciso levar alguns documentos na agência para confirmação de dados. São eles:

 

 

  • RG do proprietário do veículo e de quem irá pagar o financiamento;


 

  • CPF também do proprietário;


 

  • Comprovante de renda - Pode ser holerite ou extrato bancário dos últimos 90 dias;


 

  • Comprovante de residência, por exemplo, contas de água, luz ou de bancos;


 

  • Outros documentos extras que podem ser solicitados pelo banco.


 

 

Conclusão


É importante procurar sempre por instituições financeiras conhecidas, que façam este tipo de trabalho há tempos razoáveis, evitando cair em golpes de crédito rápido ou fácil demais.

 

 

Também é essencial saber se as parcelas irão caber no seu orçamento e, se for o caso, pode ser mais vantajoso optar por consórcios, que são mais baratos e contém juros mais baixos. Se tiver conta em algum banco, pode ser que a liberação seja mais rápida, por isso, se informe na sua agência.

terça-feira, 25 de julho de 2017

Refinanciamento De Empréstimo - Como Refinanciar? Vale À Pena?

Refinanciamento De Empréstimo


É mais comum do que imaginamos que as pessoas passem por sérias dificuldades para quitar um empréstimo, principalmente se ele é de longo prazo e com parcelas altas. E quando isso acontece, o que fazer?

 

 

Tópicos:

  • Como refinanciar meu empréstimo;

  • Refinanciamento vale à pena;

  • Posso fazer o refinanciamento em outro banco;

  • Conclusão.


 

 

Deixar de pagar as parcelas nunca é uma boa opção, afinal, o nome do cliente ficará sujo e ele ficará impossibilitado de conseguir qualquer outro tipo de financiamento ou mesmo fazer compras simples em lojas. É por este motivo que quitar o saldo devedor se torna imprescindível.

 

 

Mas, supondo que realmente as parcelas deixaram de caber no orçamento, não importa se o motivo são gastos extras ou diminuição da renda. Qual a solução? Muitos optam pelo refinanciamento do seu empréstimo, geralmente quando se trata do consignado.

 

 

Em alguns bancos, essa transação leva o nome de renegociação de dívida. Neste artigo iremos sanar todas as dúvidas a respeito desse tipo de operação e explicar tudo que você precisa saber caso esteja com algum tipo de empréstimo atrasado. Acompanhe!

 

 

Refinanciamento De Empréstimo - Como Refinanciar Meu Empréstimo?


Vamos levar em consideração que você realizou um empréstimo consignado e em algum momento as parcelas deixaram de caber no orçamento familiar ou houve até mesmo perda do emprego.

 

 

Essa é uma situação mais comum do que se imagina e a solução mais viável está em pedir ao banco um refinanciamento. Como fazer isso? O passo-a-passo é o seguinte:

 

 

  • Se possível, tenha acesso a um consultor financeiro, que irá rever seu contrato e ter em mãos argumentos viáveis ao banco caso ele se negue a realizar o procedimento. Mas, isso é bastante incomum, já que é do interesse da instituição que a dívida seja quitada. Porém, recomendamos o auxílio de um profissional sempre que haja possibilidade.


 

 

  • Peça ao seu gerente que seja feita uma renegociação ou então o refinanciamento. Ele se trata de um novo empréstimo que irá quitar o valor total do antigo, inclusive as parcelas atrasadas.


 

 

Esse novo crédito será utilizado para o valor que foi renegociado, por isso um consultor financeiro pode ser útil, já que ele ajudará a fazer com que os juros sejam diminuídos.

 

 

Vamos a um exemplo mais claro: você fez um empréstimo de 60 meses e quitou 32 parcelas, restando 28. O banco irá liberar um novo empréstimo de 60 meses, para pagar as parcelas restantes e descontando o que já foi pago.

 

 

Dessa forma, é possível aumentar novamente o número de parcelas e deixá-las menores. Esse processo evita também que o cliente tenha o nome enviado aos órgãos de restrição ao crédito.

 

 

Então, caso você tenha algum empréstimo em atraso, a dica é fazer o refinanciamento o quanto antes, evitando que sejam cobrados juros altos e aumentando o valor total. Mas, se as parcelas já estão sendo cobradas há muito tempo, é preciso pedir ao banco uma renegociação de dívida para só então pedir o refinanciamento.

 

 

Refinanciamento De Empréstimo Vale À Pena?


De forma geral, podemos dizer que sim, vale à pena. Especialmente porque evita que haja uma dívida sem quitar, o que faz com que o cliente perca o direito a qualquer tipo de crédito no mercado. É preciso apenas ficar atento ao valor das parcelas e garantir que elas irão caber no seu orçamento, evitando novas dívidas futuras.

 

 

Posso Fazer O Refinanciamento Em Outro Banco?


Caso o cliente não queria fazer o refinanciamento no banco onde solicitou o empréstimo é perfeitamente possível mudar de instituição. Só é necessário realizar uma análise e verificar a disponibilidade do banco escolhido.

 

 

O ideal é realizar uma simulação nos sites oficiais e fazer uma comparação dos juros de cada um deles. O ITAÚ, Banco do Brasil, a financeira BV e a caixa econômica federal são as principais instituições que realizam com frequência este tipo de transação.

 

 

Conclusão


O refinanciamento é bastante vantajoso para evitar que os clientes tenham o nome registrado no SPC e SERASA. Porém, mais uma vez lembramos que o valor das parcelas devem ser muito bem estudadas para que não haja novamente débitos que não podem ser quitados. Sempre que puder, faça uma análise com um consultor e verifique o motivo para o que o endividamento ocorra com frequência e tente organizar as finanças.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Refinanciamento Imobiliário - Vale À Pena? Onde Fazer?

Refinanciamento Imobiliário


O refinanciamento imobiliário também é conhecido como Crédito Imobiliário com Garantia. Como o próprio nome indica, trata-se de um crédito disponibilizado para o cliente tendo seu imóvel como garantia caso não haja o pagamento das parcelas.

 

 

Tópicos:

  • Este tipo de refinanciamento vale à pena?

  • Onde fazer o refinanciamento?

  • Refinanciamento da Caixa Econômica Federal

  • Refinanciamento Itaú

  • Questões de inadimplência - Quais as consequências?


 

 

Esse tipo de transação é bastante comum entre pessoas que desejam comprar um novo apartamento ou construir, o que traz gastos inesperados. Isso porque essa é uma forma mais vantajosa de realizar um empréstimo com valor elevado, já que os juros são muito menores do que os comuns, fazendo com que essa seja a opção mais econômica de todas.

 

 

Este Tipo De Refinanciamento Vale À Pena?


Vamos supor que você deseja comprar uma nova casa, seja na praia ou no campo ou até mesmo uma sede para seu negócio, por exemplo. Fazer isso com um financiamento comum é muito mais caro do que com um refinanciamento de imóvel.

 

 

Isso porque os juros da transação com imóvel em garantia são bem menores, justamente porque o banco não corre o risco de sofrer com a inadimplência. Portanto, sim, o refinanciamento vale a pena especialmente para investimentos altos.

 

 

Onde as outras opções seriam, de longe, mais caras e arriscadas. Porém, precisamos lembrar que essa prática exige muito estudo do orçamento para evitar que as parcelas atrasem e causem problemas sérios para o contratante.

 

 

Onde Fazer O Refinanciamento Imobiliário?


Algumas instituições são bastante tradicionais e fazem este tipo de transação há muitas décadas. O ideal é procurar o banco de sua confiança e que você tem mais afinidade.

 

 

Além de ter uma boa relação com o gerente para ele passe todas as informações necessárias e possa dar as melhores condições de parcelamento. Podemos citar as principais instituições:

 

 

Refinanciamento Da Caixa Econômica Federal


A caixa econômica federal está no ranking das maiores instituições bancárias que realizam empréstimos para diversos perfis de pessoas. No caso do refinanciamento de imóvel, o imobiliário, como preferir chamar. Neste banco ele é chamado de Crédito Imóvel Própriio Caixa. Suas condições gerais são:

 

 

  • O valor total do empréstimo não pode ultrapassar os 60% do valor do imóvel, que será avaliado por um especialista contratado pela instituição. Por isso, o ideal é que ele esteja em ótimo estado.


 

 

  • O prazo de pagamento é de até 240 meses, dependendo do valor total emprestado.


 

 

  • O valor mínimo do empréstimo é de R$ 20.000,00 e o valor máximo pode ultrapassar 1 milhão.


 

 

  • O imóvel deve valer no mínimo R$ 30.000,00. Ou seja, terrenos também podem ser usados para o empréstimo com garantia.


 

 

Refinanciamento Imobiliário Itaú


O banco Itaú também é bastante conhecido e confiável, sendo um dos principais bancos privados do país. O refinanciamento de imóvel Itaú é conhecido como Crédito com Garantia e tem algumas condições muito próprias. São elas:

 

 

  • Está disponível apenas para clientes Itaú Personnalité. Porém, é possível abrir uma conta deste tipo na hora, basta conversar com seu gerente e informar o seu desejo de pedir um empréstimo com garantia.


 

 

  • O prazo de pagamento pode chegar até 240 meses para quitação do contrato.


 

 

  • O Itaú conta com um simulador online.


 

 

  • Os juros do Itaú Crédito Imóvel Próprio são bem mais baixos do que os financiamentos comuns.


 

 

  • O valor a ser emprestado não pode passar dos 70% do valor total do imóvel.


 

 

Questões De Inadimplência - Quais As Consequências?


Como é de se esperar, se o cliente ficar em dívida com o banco, será possível que seu imóvel vá a leilão para quitar as parcelas restantes. Ou seja, não é uma boa opção fazer este tipo de refinanciamento caso o orçamento esteja muito apertado ou você não tenha certeza se poderá arcar com a dívida.

 

 

Afinal, arriscar um imóvel já quitado nunca é uma saída inteligente. Faça um planejamento familiar e procure usar o crédito com responsabilidade. A dica é utilizar o refinanciamento apenas para investimentos grandes, como compra de uma nova casa ou construção em um terreno próprio.

 

 

No caso de pagamento de dívidas, é preciso um pouco mais de cautela. Caso você queira mais informações sobre o refinanciamento de casa, procure o gerente do seu banco e faça uma simulação com ele. Leve seus documentos pessoais e os do imóvel em seu nome e peça para fazer uma proposta.

domingo, 23 de julho de 2017

Saiba Tudo Sobre Créditos Pessoais!

Créditos Pessoais


Ter créditos pessoais é sempre excelente, afinal, nunca sabemos quando poderão surgir imprevistos ou mesmo emergências de última hora. Imagine uma viagem inesperada ou um conserto de um carro que quebrou de repente?

 

 

Tópicos:

  • O que são

  • Crédito comum com cartão

  • Empréstimos

  • Consignados

  • Antecipação de 13º

  • Empréstimo com garantia

  • Conclusão


 

 

Não dá para prever situações assim, por isso, é sempre essencial ter acesso a empréstimos pessoais que possam ajudar nessa hora. Mas, como conseguir esse tipo de crédito? Você sabe quais são as ações que deve tomar para que o banco o libere? Neste artigo iremos explicar tudo que é preciso saber e tentar sanar todas as dúvidas a respeito desse assunto. Acompanhe!

 

 

Créditos Pessoais - O Que São?


São transações financeiras que envolvem uma instituição como bancos e que dê ao cliente a possibilidade de ter acesso a uma quantia de dinheiro para ser feito o pagamento posteriormente.

 

 

Os créditos podem ser empréstimos, financiamentos ou mesmo o cartão de crédito com um limite pré-estabelecido. Existem inúmeras formas de créditos e iremos citar algumas:

 

 

Crédito Comum Com Cartão


Mediante um cartão de crédito, o cliente tem acesso a um valor pré-determinado, que será definido a partir dos seus rendimentos. Todo mês esse valor é renovado conforme o pagamento das parcelas ou com o pagamento do valor mínimo, estipulado por cada instituição de acordo com suas normas, porém, sempre seguindo o que a lei determina.

 

 

O cartão de crédito é uma das formas mais rápidas e simples de obter créditos sem que seja necessário fazer propostas de empréstimos ou ir ao banco. Algumas instituições fornecem a possibilidade de realizar o pedido do cartão pela Internet, como é o caso do Itaú e do Santander.

 

 

Para ter acesso a este tipo de crédito é preciso estar com o nome limpo e sem restrições no SPC e SERASA, ter uma renda fixa e passar por aprovação do banco. O limite, como dissemos, será dado de acordo com a renda do solicitante.

 

 

Empréstimos


Outra forma de créditos pessoais é o empréstimo bancário. Ele é utilizado para quantias mais altas, que não poderiam ser supridas pelo cartão. O tipo de empréstimo varia muito de acordo com a necessidade do cliente, mas podemos citar os principais que são:

 

 

Consignados


Onde o cliente tem o valor do empréstimo descontado na folha de pagamento. Ele deve ser contratado com autorização da empresa onde ele trabalha. Por isso, se for seu caso, procure o setor de RH e conversa com eles sobre essa possibilidade.

 

 

No consignado, as parcelas geralmente não devem ultrapassar os 10% do valor total do salário do contratante. O mesmo ocorre no caso de aposentados e pensionistas, onde o valor das parcelas não pode passar os 10% da aposentadoria ou pensão recebida.

 

 

Antecipação De 13º


Nesse tipo de empréstimo, o cliente tem direito ao valor do 13º salário adiantado, depois, quando ele for pago, o empréstimo será automaticamente debitado. É uma forma de empréstimo muito utilizada pelos bancos, pois a garantia de quitação é maior.

 

 

Empréstimo Com Garantia


O empréstimo com garantia é um dos créditos, que utiliza um imóvel ou bem como forma de garantir, como o nome já diz, que o empréstimo seja quitado pelo cliente. Ele é muito usado por quem deseja comprar um apartamento novo e precisa de crédito com menores taxas de juros, por exemplo.

 

 

Para contratar, é preciso ter um bem no nome, seja um veículo ou imóvel, conferir se ele está em bom estado. E ir ao banco fazer a solicitação. O valor a ser emprestado não pode ultrapassar os 60% do bem garantido e os prazos de pagamento podem chegar até 240 meses no caso de imóveis e de até 48 meses, no caso de veículos, dependendo do valor total.

 

 

Conclusão


Para solicitar qualquer tipo de empréstimo, é preciso ir até uma agência do seu banco ou fazer uma simulação online, como no caso da caixa e do banco Itaú, que contam com essa possibilidade.

 

 

É necessário levar todos os documentos pessoais como RG, CPF, comprovante de renda e de residência, além de outros que a instituição possa solicitar. Não se esqueça que todos os empréstimos pessoais devem ser usados com prudência, para que sejam evitadas inadimplências ou mesmo problemas judiciais futuros.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Financiamento Caixa - Saiba Sobre Valor, Renda E Cadastro!

Financiamento Caixa: Quando decidimos realizar o sonho da casa própria, logo nos vem em mente o financiamento, por ser viável e principalmente por ser mais rápido para ter o bem em mãos.

 

 

Tópicos:

  • Valor Do Financiamento;

  • Renda Do Financiador;

  • Cadastro Do Financiamento;

  • Clientes De Outros Bancos;


 

 

Para isso o financiamento habitacional da Caixa é o que mais oferece vantagens, além menor juro dentre os outros financiamentos. Pode ser que a aprovação demora um pouco, mas devido à grande economia é favorável pedir uma proposta.

 

 

Financiamento Caixa: Valor Do Financiamento


Para liberar o valor é feita uma análise pela Caixa para comprovar que o financiador tem condições de pagar todas as parcelas que solicitou, porém muitos acabam sendo reprovados nessa etapa por não conseguirem comprovar a renda. Por isso esteja preparado antes de procurar o empréstimo, abrir uma conta na caixa pode ajudar.

 

 

Financiamento Caixa: Renda Do Financiador


Vale lembrar que o financiamento permite que o financiador gaste apenas 30% da sua renda nas parcelas do imóvel, por isso, quem tem uma renda baixa e escolhe um imóvel de alto valor dificilmente consegue a aprovação.

 

 

Importante lembrar que o valor dos juros é baseado na renda do financiador e no valor do imóvel, ou seja, quanto maior o orçamento da família ou do imóvel, mais altos serão os juros.

 

 

Já que banco entende que há mais condições de pagar a dívida. Desde quando é solicitada a simulação até assinar o contrato, a liberação do financiamento demora certa de 30 dias após toda a documentação assinada.

 

 

Primeiro é importante saber se as parcelas caberão no seu orçamento, para isso faça a simulação online de qual será o valor de entrada e de todas as parcelas do imóvel. Após isso a Caixa se encarrega de listar imóveis levando em conta todas as informações.

 

 

Financiamento Habitacional Caixa: Cadastro Do Financiamento


O próximo passo é separar a documentação necessária para que o cadastro seja feito, seus dados ficarão com o banco que fará a análise de crédito. Podendo usar o FGTS para efetuar parte do pagamento.

 

 

Nesse caso é permitido somar duas rendas para o financiamento, assim comprovando um orçamento maior e ter uma chance maior de realizar o sonho. O banco irá verificar as condições do imóvel para toda a segurança ao fechar o negócio.

 

 

Caso seja aprovado, chegou o momento tão esperado: assinar o contrato! Após assinar o contrato, o financiador necessita ir até um Cartório de Registro de Imóveis. O valor do registro, muda conforme a localidade, que corresponde a 2% do valor do imóvel financiado.

 

 

Não fique triste se não for aceito, pois o prazo para novas tentativas depende dos motivos da reprovação. Por exemplo, se for negado por dívidas em atraso, você poderá pedir uma nova avaliação assim que elas forem quitadas.

 

 

Clientes De Outros Bancos


A Caixa aceita clientes de qualquer outro banco para financiamento de imóvel, porém terá que abrir uma conta na caixa. Por isso é importante fazer a simulação antes de abrir a conta.

 

 

Vale lembrar que o financiamento Habitacional da Caixa tem uma taxa de juros muito baixa em relação aos outros brancos, diminuindo o valor do financiamento do imóvel.

 

 

Com juros a partir de 9,75% ao ano, os outros bancos chegam a cobrar a taxa de juros em 11% ao ano. O prazo também pode ser um diferencial, pois a Caixa Econômica Federal pode liberar o parcelamento em até 35 anos.

 

 

Há também a possibilidade de procurar uma incorporadora ou construtora, neste caso o financiamento será em um imóvel em construção. A grande vantagem é que eles se encarregam de todo o tramite.

 

 

Pedem apenas os documentos do financiador e eles se encarregam de cuidar de todo o resto, inclusive o laudo de avaliação. Que não terá taxa alguma, pois a construtora já o fez quando selecionou o banco que financiará a obra.

 

 

Programa Minha Casa Minha Vida


Vale lembrar que o programa Minha Casa Minha Vida é do governo federal, porém pode ser feito pela Caixa também. É importante ficar atento a todos os juros, pagamento, parcelamento e principalmente a todos os papéis que serão assinados.

 

 

Pois o financiador estará colocando um bem de alto valor em seu nome! Já é possível realizar o sonho de ter a casa própria e parar de gastar com aluguel, investindo seu dinheiro no seu próprio futuro.

 

 

Procure a Caixa Econômica Federal mais perto após fazer a simulação e caso tenha mais dúvidas, é importante que todas sejam esclarecidas antes de assinar qualquer contrato.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Empréstimo No Imposto De Renda - Quando Devo Declarar!

Empréstimo No Imposto De Renda


Realizou um empréstimo recentemente e não sabe ao certo como declará-lo no imposto de renda? Saiba que essa é uma dúvida comum da maioria das pessoas, afinal, é difícil definir quais são os itens que devem ser preenchidos e qual a forma correta de fazer isso sem se prejudicar no fim do processo.

 

 

Tópicos:

  • Quando devo declarar;

  • O que deve ser informado na declaração;

  • E se eu estiver com a conta corrente negativada;

  • Outras informações relevantes;

  • E se eu emprestei dinheiro a um parente ou amigo;

  • Por que devo declarar.


 

 

Por isso, para te ajudar nessa empreitada, iremos dar o passo-a-passo neste artigo, explicando de maneira clara o que você deve fazer caso esteja nessa situação. Lembre-se: todas as suas movimentações devem ser devidamente declaradas, portanto, se informar é a melhor saída para evitar problemas futuros.

 

 

Empréstimo No Imposto De Renda: Quando Devo Declarar?


Todos os empréstimos acima de R$ 5000,00 devem ser declarados no Imposto de Renda, para evitar qualquer tipo de problema com a Receita Federal. Como fazer isso?

 

 

Entre na aba Dívidas e Ônus Reais e faça o preenchimento. Mas atenção: essa aba serve apenas para os créditos consignados, empréstimos pessoais ou dívidas com o cheque especial.

 

 

No caso dos empréstimos que recebem bens como garantia, como é o caso da maioria dos financiamentos de veículos, a aba que deve ser preenchida é a de “Bens e Direitos”. Essa diferenciação é importante, já que será necessária para que a receita federal possa fazer a análise corretamente e devolver o valor que corresponde a ela.

 

 

O Que Deve Ser Informado Na Declaração?


Na aba "Dívidas e Ônus Reais", é preciso preencher os campos presentes com: CPF ou CNPJ de quem realizou o empréstimo. Também será necessário especificar o tipo de credor. São essas as opções disponíveis:

 

 

11 - Estabelecimentos bancário comercial;

12 - Sociedades de crédito, financiamento e investimento;

13 - Outras pessoas jurídicas;

14 - Pessoas físicas;

15 - Empréstimos contraídos no exterior;

16 - Outras dívidas e ônus reais.

 

 

No campo sobre a especificação do tipo de credor, coloque a numeração correspondente. Por exemplo, se for um empréstimo realizado no banco, o código é o 11, se for por uma financeira o código é o 12 e assim por diante.

 

 

Até mesmo pessoas físicas entram na declaração, com o código 14. Ou seja, todo empréstimo, mesmo que seja através de um amigo ou parente, que ultrapassar o valor de R$ 5.000,00 deve ser declarado no Imposto de Renda.

 

 

E Se Eu Estiver Com A Conta Corrente Negativada?


Muita gente não sabe, mas se uma das contas estiver negativa no valor de R$5000,00 ou mais, essa dívida também deve ser declarada. A Receita Federal orienta que o preenchimento dessas informações é de suma importância para justificar patrimônios.

 

 

Outras Informações Relevantes


Para realizar a declaração, é preciso ter em mente mais algumas informações que são relevantes nestes casos. São elas:

 

 

  • Caso a dívida seja antiga, informe o valor que foi pago no ano anterior para que ele seja abatido do montante total.


 

  • Siga as informações que estão no extrato da dívida. Essa parte é bastante importante, porque se houver diferença de valores, o Imposto Declarado pode entrar na malha fina. Fique atento a este detalhe.


 

 

E Se Eu Emprestei Dinheiro A Um Parente Ou Amigo?


A regra de declaração vale também para quem emprestou uma quantia maior de R$ 5000,00 a algum parente ou amigo. Nesse caso, é preciso declarar os juros - caso eles sejam cobrados - e o valor que foi pago durante o ano.

 

 

É preciso preencher no campo de "Bens e Direito" o nome da pessoa a quem o dinheiro foi emprestado e o CPF. Caso o valor total já tenha sido pago, ele deverá constar no campo "Discriminação".

 

 

Mas, quando o empréstimo ainda está em processo de pagamento, é preciso preencher outro campo, chamado "Situação", onde será informado qual valor ainda está pendente.

 

 

Por Que Devo Declarar?


É importante realizar a declaração mesmo que o empréstimo seja de pessoa física para pessoa física, ou mesmo quando se trata de um financiamento. Isso porque a receita federal precisa ter acesso a todo tipo de rendimento ou dívida acima de R$ 5000,00.

 

 

Sendo lei, a não-declaração pode gerar problemas futuros, portanto, atente-se aos detalhes e tenha em mãos todo o extrato da negociação para que o preenchimento seja feito de forma adequada. Você acabou de ler o artigo: Como Declarar Um Empréstimo No Imposto De Renda.